Pitadas de amor, política, sexo, inutilidades, poesia e filosofia.

sábado, 7 de maio de 2011

, , , ,



Os EUA comemoram a morte do "terrorista mais perigoso do mundo" e enquanto isso, o mundo digo, nós os civilizados ocidentais, aclamam os americanos como heróis sem percebermos que eles são os vilões da história. Para quem  não sabe, foram os governos americano, paquistanês e saudita que colocaram os Talibãs no poder. O Afeganistão estava em guerra contra a União soviética, e para controlar o avanço soviético para a eminente dominação da região e o controle do Golfo Pérsico, os EUA armaram as milícias afegãs apoiando as guerrilhas. Até hoje as guerrilhas estão presentes no país, e sempre contiveram avanços de forças armadas estrangeiras. O resultado disso é o desgaste da população civil que ao longo de quase 40 anos vive a violência progressiva de uma guerra que não tem fim, motivada unicamente pela ganância.  Bom, os EUA esteve ao lado do Talibã  quando lhe era confortável, financiou morte e sangue. Agora que o governo Talibã criou tensões com a Arábia Saudita e Paquistão, grandes parceiros e fornecedores de petróleo, os estados unidos trocam de lado e promovem mais morte e mais sangue, tutelados pela ficção da "Guerra contra o Terror". O terrorismo que eles mostram como causa, é somente o efeito do que provocaram. Nos "atentados" de 11 de setembro morreram um pouco menos de 3 mil pessoas. No primeiro ano de guerra, 1998, os EUA mandaram 140 mil soldados, se cada um deles mata um civil por ano temos 140 mil civis mortos no Afeganistão (números sugeridos por mim, os oficiais são ridículos), e os civis morrem sim, não há exércitos oficias das mílicias e qualquer cidadão comum pode ser confundido com um miliciano, por isso os civis morrem tanto nesta guerra, de acordo com a ONU (esse é oficial) só no primeiro semestre deste ano morreram 1.013 civis, levando em consideração que chegamos ao décimo primeiro ano de guerra, podemos facilmente ultrapassar o número de 40 mil inocentes mortos (fazendo uma média a partir dos números oficiais), entre homens, mulheres e crianças. Os afegãos precisariam de pelo menos mais 13 torres gêmeas para empatar o jogo.  A morte de Osama Bin Laden não representa o fim da guerra, muito pelo contrário, representa um recomeço mais forte para o talibã e uma nova justificativa para a continuidade. 


1- Heróis não se aliam a inimigos
2- Heróis não promovem violência gratuita
3- Heróis lutam por convicções não por lucro.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Frase inteligente

"O ideal no relacionamento é que a mulher seja cega e o homem surdo."
Sócrates

Seguidores

Tiago Sousa Fotografia

Arquivo

Like us

Purifikarte