Pitadas de amor, política, sexo, inutilidades, poesia e filosofia.

terça-feira, 8 de junho de 2010

UESC

A Universidade Estadual de Santa Cruz, reconhecida como uma instituição de renome e de excelência, prega uma peça nos cidadãos e nela própria. Domingo dia seis de junho foi aplicada a prova de seu concurso para provimento de vagas no seu quadro de funcionários. Infelizmente as provas foram uma vergonha total. A “burrocracia” que envolve as licitações teve um papel fundamental para descaracterizar e passar uma imagem negativa da universidade.

Foi contratada uma empresa de nome CONCEPÇÃO CONCURSOS, que se mostrou incompetente, incoerente e inconclusiva no que diz respeito à produção das provas e sua aplicação. Para quem fez a prova, o que se viu foi o inimaginável, provas não lacradas em algumas salas, portões sendo fechados em horários diferentes do estipulado pelo edital, provas confusas, com questões duvidosas, questões com erros gramaticais, e até erros teóricos e conceituais foram encontrados nas provas, mas o mais interessante disso tudo é que chegou-se ao absurdo de copiarem em suma textos da Wikipédia na produção das questões das provas.

Ora, uma universidade deve se caracterizar pelo seu conhecimento teórico, pautada em fundamentos acadêmicos, uma prova como foi a de domingo corrobora para a degradação do nome da instituição, invalida a seriedade que se espera de um seleção pública e desmotiva os candidatos que realmente se preparam para o concurso. É uma infelicidade que a UESC tenha contratado uma empresa tão desqualificada e incompetente para tal exercício.

A universidade tem uma prova de nível em seus vestibulares, provas coesas, com questões inteligentes e direcionadas, preparadas exclusivamente para tal fim, e era isso que os candidatos esperavam desse concurso, uma prova do mesmo nível, não digo aqui nível de dificuldade, mas de coerência teórica, esse é o mínimo que podemos esperar de uma academia. Mas o que se encontrou foi uma total e irresponsável incoerência, só vista em concursos fajutos ou tendenciosos.

Não acreditamos que a UESC tenha se inclinado a fazer uma seleção pública parcial e corruptível, e por isso esperamos uma tomada de atitude por parte da universidade, para que o próprio nome da instituição não seja levado a julgo por incompetência de terceiros.


Tiago Sousa
Aluno de Filosofia da Universidada Estadual de Santa Cruz.
tiagojsousa@yahoo.com.br

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores

Tiago Sousa Fotografia

Arquivo

Like us

Purifikarte